terça-feira, 23 de agosto de 2016

Meu Big Chop

Oi gente!

Participo de um grupo no whatts com meninas do Brasil todo que decidiram abandonar a química capilar (escova progressiva, relaxamento, alisamento, etc.) e deixar seus cabelos naturais assumidos. Conversamos sobre a dificuldade de aceitação, preconceitos, racismo etc, e muitos outros assuntos, grupo só de mulher dá para imaginar a quantidade de mensagens por dia que sai, hehe!

Hoje uma das meninas comentou que estava passando por uma fase difícil com seus entes mais próximos e lembrei do meu BC (big chop = grande corte). Para quem não sabe BC é cortar todo cabelo que tem algum tipo de química e deixar só o cabelo natural crescendo, algumas pessoas passam pela fase da Transição Capilar e ficam com duas texturas de cabelo (com química nas pontas e sem química na raiz), esperando o cabelo crescer o suficiente para ter coragem de cortar tudo e fazer o BC.

Quando eu decidi deixar meu cabelo natural, foi um processo de renovação da mente, não foi do dia para a noite, mas quando tomei a decisão eu não pensei duas vezes, não aguentaria ficar com as duas texturas, pois tenho muito cabelo e muito crespo, ficava um volumão na raíz e uns fios desmilinguidos nas pontas, então tasquei a tesoura, hehe! 


Logo após o corte, não imaginei que meu cabelo poderia mudar tanto a minha visão com algumas pessoas, senti o peso de uma sociedade ignorante e preconceituosa, não entendia onde o corte do meu cabelo influenciaria na vida de outra pessoa. Me irritei muito, fiquei triste, me senti agredida verbalmente inúmeras vezes, tiveram pessoas que não foram tão descaradas no uso das palavras, mas tiveram outras bem indiscretas e invasivas mesmo que me falavam na cara que eu estava feia, como se eu tivesse pedido a opinião.

Ainda hoje muitas vezes me olham torto, mas agora que meu cabelo está mais comprido e "aceitável" aos olhos da sociedade entrei numa outra fase, de ficarem me perguntando se deixarei o cabelo crescer ou não. Gente! Se vou deixar crescer, se vou voltar a alisar, se vou pintar de verde e amarelo só diz respeito a mim, com licença!


Quando olho essa foto acima, olho para uma mulher refém da opinião dos outros, com feridas internas criadas desde a infância, do tempo que me entendia por gente até o período da libertação de conseguir ser quem eu quero ser. Não estou dizendo que toda pessoa crespa e/ou cacheada tem que voltar ao cabelo natural, estou dizendo que toda pessoa seja homem ou mulher tem o direito de ser e usar o cabelo como quiser, sem ter que aturar o "mimimi" das pessoas que não aguentam a nossa personalidade, originalidade e beleza.

Então, minha intenção com esse texto é mostrar que você que parou para ler e já passou por alguma situaão desconfortável seja com amigo ou parente ou mesmo desconhecido, que eu também já passei e muitas pessoas infelizmente irão passar. Ignore-as, ou melhor, se valer a pena, ensine-as a serem pessoas melhores. Seja quem você quer ser, abstraia palavras duras, absorva só o que for bom, pois há pessoas que não sabem viver e apenas existem reproduzindo opiniões de terceiros por não conseguir abrir sua mente e pensar por si. Garanto que será mais feliz!

Beijos!
E até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário